A droga da obediência*

segunda-feira, 29 de novembro de 2010


Não conseguimos escapar das relações de obediência. Elas nos definem enquanto sujeito e sociedade. Submetidos a figuras de autoridades associada ao deus-imaginário ou negando toda autoridade estaremos colhendo sempre frutos de nossa relação com a questão. Se por um lado a submissão as autoridades associadas ao deus-imaginário infantiliza o ser, a falta da relação de obediência debilita o eu, gerando angústias, neuroses e até psicoses.
A obediência relacionada ao deus-imaginário é fruto dos sentimentos infantis de onipotência e adquire um comportamento mágico diante da vida. Os sentimentos envolvidos são medo e amor, gerando dependência ou rebeldia.
Jesus ensina uma forma completamente diferente dessa relação de obediência. Não nega a relação necessária da obediência, mas cancela toda hierarquia, esvazia todo espaço de autoridade. Anuncia uma sociedade igualitária de irmãos, onde o culto a personalidade não existe, e em vez de autoridades, existem funções, onde a obediência é disposição para servir de maneira livre e voluntária. A submissão enfim é substituída por uma decisão livre e voluntária para o serviço, sempre analisando as fontes de onde procedem as orientações e pedidos. Só assim as relações de obediência geram saúde para a alma.

Ivo Fernandes


* li na adolescência

9 comentários:

René disse...

Caramba, Dri!!

Que percepção perfeita de submissão e obediência!!!!

Isso parece com aquele "alimento que tenho para comer, que vocês não conhecem" (Jo 4.32). É verdadeira comunhão, relacionamento sadio!

Abração e Paz!

Adriana disse...

Mano,

Nos tornamos alvos de doutrinamento desde de bebê, você consegue contar quantos "não" ouviu durante toda sua vida?
Pois é, ser dirigdo é algo que não incomoda tanto, até o mais rebelde declarado.
A luta contra este amalgama não será inglória, temos que tentar.

obrigada

É uma honra receber sua visita e seus comentários

Regina Farias disse...

Dri, veja que coisa mais interessante...

Lendo esse texto, percebo o quanto ele complementa o que tenho lido e escrito por esses dias.

Que coisa incrível!

Deus é maravilhoso!

Beijos,
Rê.

Cláudio Nunes Horácio disse...

Viver sem confinamento dá medo. Lembro-me o quão seguro já fui quando tinha todas as certezas e as respostas teológicas. Com isso também era arrogante e impiedoso. Hoje, com tantos "pode ser", mudei muito e o sim e o não, não me dizem muitas coisas até que por mim mesmo analise e decida. Beijão.

Hugo Lucena Theophilo disse...

O Ivo pregou essa mensagem ontem. Foi tremendo..caiu fogo do céu e todos se submeteram à autoridade dele...rsrs

Wendel Bernardes disse...

Oi Adriana,
fiquei sem palavras por sua gentileza por comentar, seguir e divulgar o banner do blog...
Poxa, sem comentários...

Quer dizer, sem comentários não né, afinal blogueiro se amarra num comentáriozinho, não?

Curti muito seu blog, também já curto a 'galera' com quem voc~e anda... e tem uma frasezinha que diz alguma coisa sobre dizer com quem se anda pra saber quem somos? É assim mesmo?
rsrssrrsrssrrssr

Meus parabéns!
Muito obrigado, viu?

Paz!

René disse...

NÃO PUBLIQUE!!!

Dri,

Tem algum probleminha no banner do seu blog e do Café Com Leite Crente. A imagem não aparece. Talvez seja com o hospedeiro da imagem.

Abração e continue na Paz!

Adriana disse...

Amigos e fieis leitores,

O meu banner tá com pobrema nos neuvos e eu só poderei dar jeitinho nele no final de semana.
Agradeço a paciência e aviso quando tudo voltar ao normal.

brigadinha Wendel, Rô e Renê

michele disse...

Olá Adriana, seu blog é muito lindo, parabéns, e obrigado pela visita no meu, volte mais vezes quando puder.bjs

 

Posts Comments

©2006-2010 ·TNB