FILHOS, UM PRAZER.

sábado, 22 de maio de 2010

POR FAVOR E OBRIGADA
Primeiras lições, essas palavras mágicas nos acompanham vida toda. Mas aqui fica meu convite pra atentar a elas no macro e no micro da lida diária. Quanto temos a agradecer e o quanto ainda desejamos e pedimos. Tudo certo, é assim mesmo, desafios, conquistas, aquisições, novas dificuldades. O tal do gerúndio-sem-fim-que-é-crescer, que eu falo tanto.

Acredito na experimentação de si na vida – mesmo; que certo é errar, que há de ter coragem pra tentar, descobrir, vencer, conhecer, não conseguir. Sei que seguro é quem lida bem com suas inseguranças – e não tem medo de assumi-las, até pra poder conviver com elas. Que pra conhecer seus limites é preciso primeiro esbarrar neles. O que posso fazer é oferecer recursos pra cada um dos meus filhos encontrar e reconhecer os próprios contornos e limites: confiança, informações, aceitação, escuta aberta, coração escancarado, colo, regaço e fé no taco. Pra eles poderem empreender sua viagem rumo ao mundo de fora e de dentro – e germinar da semente, a árvore que cada um é.

Imenso prazer conhecê-los, imenso orgulho desses frutos benditos. Abençoada sou eu. Por isso, todos os dias eu agradeço por tanto que me é dado nessa vida, pela saúde, pelos laços fortes, pela proteção. E peço, apenas, para continuar merecedora disso tudo.

Divido com vocês minha listinha de pedidos e gratidão que um dia fiz aos meus filhos:

Desejo que haja sempre uma vontade, um sonho, uma meta, na vida de vocês.

Desejo que não faltem bons motivos pra começar: o dia, um projeto qualquer, ou um novo amor.

Que vocês percebam que é necessário ter a exata mesma medida de humildade e coragem, tanto pra

tomar uma decisão, quanto pra mudar de ideia e voltar atrás.

Desejo que haja uma escuta atenta ao seu coração – aquietem-se e ouçam os sussurros que dali vierem.
Não é só a consciência que nos indica caminhos. É do diálogo cabeça-coração que nascem as melhores decisões.

Não aceitem o que lhes insulte ou aquilo que fere sua essência. Não permitam que nada lhes deforme o coração – saber ser maleável sem perder a identidade é uma conquista.

Acreditem naquilo que vocês cultivaram em cada amigo e a permanência triunfará sobre o transitório.

Desejo, também, que vocês sintam saudade, pois nela mora o prazer do tempo vivido.

Desejo, acima de tudo, que cada um de vocês possa ser o que é – e, assim, ser feliz.

Agradeço, há muito, aquele sorriso fácil, pronto, banguela e por nada, que me era dado de presente toda vez que eu, simplesmente, aparecia. Ainda fico grata com suas risadas.

Agradeço todas as vezes em que fui levada em conta e, mais do que obedecida, fui considerada.

Agradeço cada mostra de caráter e sensibilidade que vem de vocês. Agradeço os amigos que seus corações trazem pra perto.

Agradeço ser merecedora da sua confiança e depositária das suas verdades.

Agradeço por dividirem comigo seus sonhos, projetos e ideais.

Agradeço o orgulho que me enche o peito sempre que penso em vocês.

Eu agradeço por vocês serem, ao mesmo tempo, âncora e velas.

Por me trazer o passado, me levar ao futuro e iluminar meu presente.



Lucia Rosenberg - é psicóloga pela PUC-SP, mestre em Psicologia pela New School for Social Research em Nova York e autora do livro "Cordão Mágico - histórias de mãe e filhos".

9 comentários:

***Adriana Rocha*** disse...

Só de me lembrar que Deus me presenteou com essa dádiva "a de ser mãe" meu coração de enche de alegria e adoração.
Amo meus filhos com loucura e quando me lembro que a medida do amor que sinto pelos meus filhos não se compara a medida do Amor de Deus pelos filhos Dele,Ah sou filha Dele...eu choro!
Amo saber que Deus me ama, o ato de refletir isso e demonstrar em casa, no seio, para nossos filhos, nos faz apaixonadas assim por esta função que jamas será tomada a de ser "mãe"

Que Deus abençõe a mim, a minha a ti e a tua mãe e a todas que são dignas da benção Dele(sorte a nossa viu!)

João Carlos disse...

Nossa Dri, que lindo!

Cláudio Nunes Horácio disse...

Que que isso minha irmã? Que sabedoria é essa? karakas! Este texto é incrível, vou copiar e postar no meu blog com sua licença e devidos méritos. Estou sem palavras pra expressar o que pensei e senti. bj

Adriana disse...

ô Mano,

tudo que tem aqui é nosso, por favor fique a vontade.

abraço

Regina Farias disse...

Oi, Adriana,

Posso colar no meu blog esses desejos de mãe?

Aliás, veio em momento super oportuno...

Não sei qual a idade dos teus, mas essa maestria em lidar com vários temperamentos e anseios diferentes sem deixar sobressair as próprias fragilidades, é para a mãe uma tarefa diária, tem um ritmo super dinâmico e é quase como o respirar.

Só dá pra segurar a onda sem sair do salto se estiver mesmo na GRAÇA.
Fora disso é só o CAOS.

E cadê a amiga de infância que nem dá o ar da graça lá no meu diário virtual? affff

bj

R.

Adriana disse...

Regina,
vc tem toda razão, tô em divida com a amiga de infância.
Me aguarde.

Vinicius Morais disse...

Graça e Paz!

Já faz muito tempo que eu queria visitar e comentar no seu blog, querida irmã.

Gostei muito do que li. Que Deus continue usando sua mente, seus pensamentos e toda sua vida para nos presentear, sempre!

Um grande abraço e fica na Paz do Senhor Jesus.

Abs,
Vinicius Morais
----
Visite: Refletindo a Graça
http://refletindoagraca.blogspot.com/

Cristiane Jacob disse...

Olá minha amada.
Lendo esta sua mensagem me remeto a situações do cotidiano, onde acabo sendo mãe dos filhos dos outros, Deus "ainda" não me presenteou com esta dádiva, mas sabe, hj isso já não é prioridade, aprendi que ser mãe não é só barriga, é principalmente CORAÇÃO.E no coração sou mais do que mãe de muitos.... Tenho meus vários filhos diários, onde seco as lágrimas, puxo as orelhas e muitas vezes pego no colo, agasalho qdo possível e alimento sempre... Tenho meus filhos que foram gerados em barrigas alheias ( de cunhada, amigas e comadres), mas que são meus SIMMMMMM, o amor é incondicional e não abro mão disso. Eles me mandam mensagens de amor, mensagens desaforadas, dizem que me amam, sentem ciúmes, dormem na minha cama, me abraçam, me consolam, me puxam as orelhas, ficam de mal, e dizem que vão cuidar de mim na velhisse....e eu credito...kkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!
E para todos os meus desejos são os que vc descreveu!!!!!
Amor de mãe nasce junto com o desejo de proteger, de cuidar , de dar amor, de querer que eles fiquem sempre no colinho, e como me desespero qdo percebo que eles não cabem mais no colo, que tenho que olhar para cima para olhar no olho...
Por estes muitos outros motivos, prefiro continuar acreditando que Deus é o realizador e que tudo é possível.
Com amor.
Cris

Adriana disse...

Cris,

como filhinha de minha alma, espero ansiosa pelo dia que vc decida fazer um blog.

bjs

 

Posts Comments

©2006-2010 ·TNB