Contra ponto

domingo, 2 de janeiro de 2011



Eu continuei pensando nos meus erros.

Dizem por ai, pelos guetos frequentados por filósofos, que o sujeito que assim se mantém focado, tem uma tendência a ficar preso nos meandros do seu superego, a culpa é seu algoz. Um feroz algoz, uma sombra perseguidora.

Eu sou assim.

Orei, orei, peguei a bíblia e li, com aqueles vícios de leitura, adquiridos nos tempos de adoradora do Livro.

Li como quem quer ouvir apenas o que lhe fizer bem aos ouvidos, portanto inconscientemente eu a tomei como o oráculo dos oráculos.

Deus não falou comigo, sério, não disse nada.

Continuei com as duvidas a respeito de meus erros.

Somente hoje, eu vi o filme "A felicidade não se compra" que de forma randômica caiu no meu colo e então ouvi uma resposta.

O filme trata da saga de um homem que se detém em ruminar sobre seus erros, até receber a visita de um anjo que lhe mostra a importância e a relevância de seus acertos.

Logo depois eu estava fazendo meus deveres de casa, como toda boa dona de casa zelosa, e assisti, mais ouvi que assisti, o Programa Saia Justa da GNT e o tema girou em torno do tal Balanço de final de ano, erros e acertos.

Algumas frases foram emblemáticas, como por exemplo, " se fixar no erro faz com que você não acerte mais, gaste energia e atenção nos acertos, sem menosprezar o que precisa ser consertado, mas focando no hoje" , "alguns erros podem se tornar acertos".

Parecem frases de para choque de caminhão, mas naquele momento foram coadjuvantes no processo de libertação que se instalou.

Até os clichês podem ficar carregados de simbolismos.

Muito se esclareceu.

Fiz uma retrospectiva do meu dia e me lembrei do texto que li no René e me dei conta de que além da resposta acima de qualquer expectativa, Deus havia dado a receita mais eficiente para o bolo. Receita pensada, realizada antes da fundação do mundo.

Está tudo amarradinho.

Eu vou ao delírio (no bom sentido rsrsrs) quando passo por estes processos terapêuticos comandados pelo Eterno.

Tenho o atrevimento de fazer uma certa divagação e imaginar que o salmista do salmo 77 fez esta viagem.


O salmista entra no processo e tem como facilitador e como método o próprio Criador.

Visualizo uma amplificação arquetipica, sua visão fica limpa para que ele possa ver melhor a conjunção entre o passado e o presente, alterando a perspectiva do futuro.

Salmista também é gente, faz balanço, dá uma piradinha, se abre para cura, muda de foco e termina o dia leve e apaziguado.

Quem sou eu para negar tal tratamento.

8 comentários:

Cláudio Nunes Horácio disse...

De tudo o que você disse, uma das conclusões é: "Deus ainda fala de diversos modos e de diversas maneiras, não Se restringe a Escritura para falar o que quer com quem Ele quiser", aleluia!

René disse...

Dri,

Que magnífica descrição de um longo bate-papo com o Senhor!

Sério! Fiquei imaginando você rolando suavemente em um gramado com a consistência de nuvens, totalmente rodeada pelos braços do Senhor, que dedicava toda Sua atenção exclusivamente pra você, como se você fosse a única pessoa do universo.

E o salmo que você citou ajuda ainda mais a construir essa imagem, tendo seu clímax na palavra mais forte ali escrita: "Pausa!". Este é o momento em que a gente pára de falar, por absoluta falta de argumentos a apresentar diante de Deus, e em que Ele mesmo começa a falar conosco. E, repare, que após cada fala dEle, durante a pausa, somos remetidos exatamente ao nosso passado, como o salmista, a fim de valorizarmos tudo aquilo que Ele tem feito em nossa vida, não como saudosismo, mas como uma promessa de que assim também será, dali em diante.

Assim, nós que chegamos diante dEle pensando em dizer que somos miseráveis, por conta de todos os erros que cometemos no caminho, exatamente como o filho pródigo pensou em falar com seu pai, somos acolhidos num abraço silenciador, com beijos reconciliadores e com uma aliança, que significa o cumprimento do pacto feito por Ele conosco, na Cruz! É como se Ele nos dissesse: "Já sei de seus erros! Não quero mais falar deles! O que importa é a pessoa na qual você vai ser transformada, daqui pra frente!".

Esse é o nosso Deus! Esse é o nosso Pai!!!

Que o abraço que envio agora pra você tenha, ao menos, uma centelha do acolhimento que você recebeu do Senhor!

João Carlos disse...

Dri,

Adoro estas viagens necessárias, apesar de quê - vez ou outra - tenho que parafrasear Pedrão:

“... como igualmente o nosso amado irmão Paulo (no caso, Adriana... risos) vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada, ao falar acerca destes assuntos, como, de fato, costuma fazer em todas as suas epístolas (ui), nas quais há certas cousas difíceis de entender, que os ignorantes e instáveis deturpam...” - 2 Pedro 3:15b

Digo isso porquê quando você entra no psicologiquês eu me perco todo!

Mas não há de ser nada não, um dia eu chego lá!

Beijos!!!

Paulinha disse...

Olá amiga ADRIANA,

Hoje passando pelo blog do nosso amado irmão Edu Medeiros, um amigão do coração...parei para observar o teu cometário na página dele, e observei a tua foto..e vi que você havia me adicionado no facebook algum dia desses.

Eu confesso que não a aceitei na época, pois eu não a reconheci, lógicamente porque eu não a conhecia. rss

Mas então resolvi conhecê-la, e conhecer o teu blog..e vou lhe confessar com sinceridade, que esta postagem tocou o meu coração...

O teu blog tem o mesmo perfil que o meu, e ele toca corações, através dos sentimentos de quem escreve..

Fico feliz por ler tão belas palavras, e creio que Deus nos fala através de diversas fontes..

Seja através de um irmão, de uma mensagem na tv, numa revista....em um livro..

Hoje estava terminando minha leitura do livro "Faça a vida valer a pena", de Max Lucado. E senti que Deus falou comigo nas últimas paginas do livro, como Ele não havia falado comigo durante todo o livro!

É impressionante como Deus toca o nosso coração, com as palavras certas, nos momentos certos e totalmente precisos...

Procurei o salmo 77 para ler, é muito lindo. Obrigada pela sua escrita.

Beijos ..a paz .

Assim como escrevo com meus sentimentos, você escreve com sentimentos.

Adriana disse...

Claudio e René,

Foi um momento de introspecção profunda e o instrumento usado pelo Eterno para me consolar, eu só agradeço e me rendo.

abraços

obrigada por tudo

Adriana disse...

Pastô,

Eu não tenho duvida nenhuma que sua sensibilidade acurada captou tudo bem direitinho, informaçõa nõa se faz necessária para quem está bem conectado.

Suas comparações são engraçadas, no minímo engraçadas.

Agradeço sua paciência em ainda querer ler minhas loucuras santas.

abraços

Adriana disse...

Paulinha,

Você é amiga.

Interessante que, tempo atrás, quando conheci seu blog, o texto que me tocou profundamente foi a respeito de sua reflexão sobre um momento impar, onde você interagiu com uma dor, de alguém e com a dor do mundo.

Uma empatia que me comoveu.

Que possamos nos inspirar.

Eu que agradeço por sua visita, comentário e esta interação tão gostosa.

Abraços

João Carlos disse...

Dri,

Vou lendo que é uma beleza, me emocionando, sentindo a presença de Deus, patati-patatá... De repente vem um "psicologiquês" e o tico e o teco entram em crise. Ai eu me questiono: "Tá entendendo mesmo Jão Careca?"

Brincadeira, entendi sim. Você sabe que eu perco o amigo mas não perco a piada!!!!!

 

Posts Comments

©2006-2010 ·TNB