Confissões de um pastora (ex neo pentecostal) parte I

quinta-feira, 15 de julho de 2010


Quem sou Eu? Taí a pergunta.
Posso dizer que, estou "em construção".
Ele assim o quer, e eu aceito de boa, sei que preciso e assim o é.

Eu me curvo diante de Ti. Não tens inimigos , não tens adversários!!

Pedaço de Barro não discute, bom, até discute, mas sempre está errado de alguma forma, a perspectiva humana é nanica, falha, limitada, o amigo Jó é exemplo.
Confirmo, que estou livre de casulos ilusionários e habitáculos escravocratas. Como diz o ditado "enquanto existir cavalo são jorge não fica a pé" , outro diz, "o palhaço só faz sucesso por conta da platéia", pois é mano, os tais que peguem um taxi e encontrem outros fregueses, pior que facilmente encontrarão, é fato.

A ficha caiu!!

Não podemos fazer absolutamente nada para merecer e desfrutar do Amor Dele. Está feito!!

Ele me tirou do império das trevas e me transportou para o reino do Filho do seu amor, isto vale para quem acreditar.
Hoje posso dizer que "matrix" foi pra não mais voltar, alivio, é a palavra que descreve com perfeição o sentimento que me invade.
Estar do lado dos poderosos e de seus podres poderes eclesiasticos é algo que corroe, infla o ego e vicia. Eu estive no "lado negro da força", o cálice da barganha embriaga e intorpece.
Não sou melhor que nenhum deles, não vou malhar o Judas e dedo em riste está envergonhado, pois minha alma se enamorou do sórdido travestido de "dons".

Ele me ofereceu a pilula vermelha, tomei rapidinho.....E não é que a Verdade liberta mesmo!! Liberta, inclusive do novelo tecido pela confraria da mentira, liberta da maçonaria gospel.
Já negociei e fiz muitas concessões, mas hoje, não negocio com aquilo que está posto e não está firmando na Pedra de esquina, inclusive pode pular, sapatear, falar variedade de linguas esquisitas, levitar, fazer milagre e esbravejar revelamentos, a referência é só uma, fundamento único na qual apoio tudo o que sou, Ele referência para tudo!!
Sobre o que escrevo aqui, você pode pensar várias coisas, depende muito de suas projeções, suas convicções, fique a vontade. Não fico incomodada com a discordância.
Quer me chamar por algum título? Antes saiba que rejeito qualquer aliança com o cardinalato instítuido pela megalomania humana. A hierarquia de unção é coisa da cabeça e do coração de alguns. Ela vem na cor e no tamanho da necessidade psicológica do doidinho(a).
Alguns criaram conforme sua imagem e semelhança, verdadeiros templos de adoração ao umbigo e tem uma hora que você precisa escolher a quem quer servir.
Como sou "desviada" da igreja do deus gospel e suas deusas-mães, não me encaixo nos esquemas moldadores de soldados subservientes. Não tente.
É um desabafo indigesto?
Não me tenha como revoltada ou rebelde, lembre-se eu estou "em construção".



Texto escrito logo após meu rompimento libertador.
Eu me percebia cheia de raiva transferida para meus "algozes". Na verdade havia raiva de mim mesma, afinal os demais "cegos" também precisam ser encontrados pelo Evangelho.

25 comentários:

Amana C. disse...

Gostei muito do tempo, Adriana.
É um texto muito bem construído, revelador... instigante e até poético.

Adriana disse...

Oi sumida!

Sintimos sua falta lá no Éder!

vc se refere ao texto do Mario Quintana?

abraços

Eder Barbosa de Melo disse...

Acho que comecei a ler este texto, no blogroll dia desses e quando cliquei pra conferir havia sido excluído. Puxa vida, é maravilhoso expressa o que vai na minha alma. Saiba eu até peguei um gancho no seu texto sobre "casulo" hoje na pregação na igreja, estava meditando sobre Atos 2:42-47 e me lembrei do texto, deixei o povo chocado em Cristo quando disse: "eu não sou mais evangélico e nem quero que me chamem mais de irmão", não se for de maneira superficial, mera convenção, e fui esclarecendo tudo. Estou cansado dos títulos, das hierarquizações, do totalitarismo, enfim, de toda essa rebeldia dos evangelicos. Eu me desvio desse caminho mal. Sempre digo que acho que é hora de repensarmos a nossa espiritualidade. Que bom que estamos nessa, em Cristo somos livres.

Adri, este texto é antigo? Ou o seu "rompimento libertador" foi recente? Fiquei sem palavras, só quem está em construção entende.

Beijos.

P.S. Meu banner tá horrivel aqui também, totalmente desproporcional, uma aberração no seu lindo modelo. Vou criar outro com mais noção de tamanho, por favor copie depois, e se quiser pode excluir esse aí rsrsrs.

Adriana disse...

O rompimento foi gradativo. Começou em Março de 2009, protelei acreditando que poderia fazer algumas coisa para mudar a mentalidade dos meus pares.
Uma sindrome de messias, doce ilusão.
O desligamento propriamente dito se deu em novembro, uma semana antes da consagração a pastora.
Contudo não aconselho ningúem a fazer minha trajetória, pois esta experiência pessoal e intransferível, foi meu caminho.
Se for possível prega a Graça e o Evangelho genuíno onde vc está, seja agente de transformação.

abraço

Eduardo Medeiros disse...

Dri, "rompimento libertador". Como é bom se livrar de amarras religiosas e teológicas não é? Gosto mesmo da proposta do Caminho do Caio, ainda que para mim, nem todas as amarras foram quebradas. Por exemplo, não gosto muito da ideia de interpretar toda a Bíblia a partir de Jesus. Creio que isso traz mais confusão do que libertação. Mas posso entender a intenção desse posicionamento: colocar Jesus como centro.

Eu não ponho Jesus como centro de todo a espiritualidade, pois admito outras centralidades. Ele pode ser central pra mim mas pode não ser para um hindu. E isso para mim, no final das contas, não fará a mínima diferença.

beijos

Adriana disse...

Dudu,

eu ainda tenho meus pequenos grilhões, mas com certeza nenhum esquema acachapante me pega de novo, te garanto.

bjs

disse...

Eder o corajoso. Parabéns!

René disse...

E essa construção vai longe, amada, para todos nós. Mas isto não importa. O que importa é o fundamento sobre o qual a construção é feita. Pela graça do Senhor, você saiu da areia para a Rocha. As tempestades continuarão batendo na casa, mas, desta vez, não tem perigo de ela cair...

Abraço e continue desfrutando dessa Paz!

CRIS JACOB disse...

PARABÉNS E CORAGEM.
AMO VC

Adriana disse...

René,

Melhor assim.

Fica na Paz querido

Adriana disse...

Cris,

nada de invenção, esta consciência que o Espirito Santo nos deu, tirou a canga e o jugo.
Estamos livres amada!!

beijocas

disse...

Ainda há em mim algum ranso, mas ja tem 5 anos que estou lutando com isso, mas digamos que estou bem. Graça e paz!

Guiomar Barba disse...

Adriana,
Na minha vida tem muitas Adrianas.

Não é em qualquer blog que você encontra semelhante ensaio, amei a forma como você escreveu e como se posiciona. Graças a Deus por você.

Estou na confraria e amo aquele pessoal e oro por cada um deles para que reencontrem Deus dentro de cada um deles.

Se você achar este ensaio no meu blog, não se assuste, já sabe porque.

Obrigada pela visita e por me seguir. Veja também o psicoterapeutacritão, é muito bom mesmo.

Estarei em BH em um congresso, talvez estique até M.Grosso, quem sabe demoro um pouco, mas volto.
beijão.

Adriana disse...

Guiomar,

Esteja a vontade, a casa é nossa.
Ainda não orei pelo pessoal da Confraria, mas gosto demais de alguns com os quais a vida proporcionou um contato agradável, agradeço a dica.
Já acompanho o psicoterapeuta cristão, vc tem toda razão é ótimo.

Bom congresso amiga, aproveite.

Regina Farias disse...

Dri,

É mesmo uma experiência pessoal e intransferível e cada um de nós a viveu de forma bastante particular.

Digo isso porque acho que, de uma maneira ou de outra, muitos de nós passaram por esse corredor polonês.

Essa cilada das amarras está sempre a postos e cheia de sutilezas e até euzinha que desde muito garota era avessa aos cerimonialismos mecânicos e sem sentido nos quais fui criada,rejeitando-os com todas as minhas forças, ainda assim houve um período em que caí nessa armadilha.

Foi quando - de um extremo ao outro - me levavam à força para uma igreja pentecostal tradicionalíssima/ fundamentalistíssima rss e eu me sentia sendo levada pra forca (trocadilho podre rss) pois conhecer esse Deus neurótico depois daquele distante e inalcançável da ICAR, foi o período mais triste e angustiante da minha vida.
Esse Deus que jurava me matar se eu não obedecesse aos prosélitos de plantão me oprimiam. Pense na doideira. É por essas e outras e por muito menos até, que neguinho vira ateu. Deus o sabe!

bj

R.

Adriana disse...

Nem me fale!
Cada um reagi de uma forma e eu poderia sim querer ter me "vingado", renegando a Deus como se ele fosse o responsável por todas as minhas mazelas religiosas.Afinal eu acreditei neste deus manipulador e mesquinho.

bjs

Regina Farias disse...

Ops! correção: me oprimia. :)

Meninas do Reino disse...

Adriana!

Sua confissão poderia ser em muitos aspectos a minha confissão...também estive muito próxima e envolvida com o glamour do mundo neopentecostal (no blog até fiz um desabafo sobre o espetáculo gospel, mas ali não é nem a ponta do iceberg de muitas coisas que vi e vivi e que pela GRAÇA do PAI fui liberta)
Também estou em construção, reforma...revisão. Me encontrando NELE e firmando-me em Sua VERDADE a cada dia.
Prossiga no caminho querida, com certeza você não está só!
Abraços!

Roberta

Adriana disse...

Roberta,

Agradeço o apoio.
Eu tenho muito a dizer, sem denuncismo, pretendo desnudar minha alma neste espaço, pois fiquei um ano remoendo estas vivências e agora chegou a hora do desabafo.
Não pretendo citar nomes e nem precisa, parece que histórias se repetem, pois os viciados no poder tem o mesmo modus operandi.
Na verdade quero falar de como Cheguei a este fim de poço.

abraços.

Srta_cruz disse...

também estou lhe seguindo!!!
beijão

Marcos Vinicius Gomes disse...

Adriana,

É um momento de coragem, já passei por isso há quinze anos, apesar de ser do baixo clero, ou melhor da turma da marmita, proletário migalhento...às vezes dá um banzo, mas parece que fiz certo. Você quer lutar contra moinhos e ve que não dá certo. Eu penso que fiz certo. Romper com o poder é tão corajoso que é daí que encontramos forças para prosseguir. É um sistema opressor, se não fosse, não te acusariam, ou te acusarão de traidora, o que com certeza vc não é.
Abs

Cláudio Nunes Horácio disse...

Adriana, acabei de ler com bastante calma seus dois textos, são de uma riqueza, uma poesia e verdades explícitas maravilhosas. Você diz tudo de forma desenhada. Realmente amei estes dois textos. E claro, copiei e publiquei no meu blog. Beijo.

Amana C. disse...

texto do mário quintana?
me refiro ao texto "confissões de uma pastora...(parte 1)". hehe

Amana C. disse...

texto do mário quintana?
eu me refiro a esse texto.

risos.
:)

Adriana disse...

Marcos Vinicius,

Seja bem vindo, é uma honra de verdade.
Sim, já disserasm que eu trai a visão!!
Bem, foi isto mesmo que eu fiz, afinal o véu do olhos cairam e encontrei força para romper.

abraços.

 

Posts Comments

©2006-2010 ·TNB